sexta-feira, 29 de janeiro de 2016

DO DIREITO AO DINHEIRO DE VOLTA

nova LEI do Consórcio prevê o pagamento imediato a solicitação do cancelamento. Solicito que me devolva o dinheiro a que tenho direito e acredito que o valor a ser pago deve ser corrigido pelo IGPM ou outras tabelas de correção que são utilizados para reajuste das parcelas.

Lembrando que quando solicitei o cancelamento do mesmo o consorcio estava no valor de R$ 64.990,00 ( sessenta e quatro mil e novecentos e noventa reais).

DO DIREITO AO DINHEIRO DE VOLTA

O consumidor que desiste ou é excluído de um grupo de consórcio tem direito à devolução integral dos valores pagos a título de amortização. Mas o prazo para receber o dinheiro de volta não é o mesmo para todos os casos.


Para os contratos celebrados antes de da lei nº 11.795/2008 (nova lei de consórcios), o Superior Tribunal de Justiça (STJ) tem considerado que o consorciado desistente ou excluído deve ser reembolsado só 30 dias após o encerramento do grupo (data prevista para entrega do último bem).


Já quem contratou durante a vigência da nova lei de consórcios e foi excluído não precisa aguardar o encerramento do grupo: pode receber o dinheiro quando for sorteado.


No caso dos desistentes não há prazo determinado, mas como os artigos que indicavam a data da devolução como 30 dias após a entrega do último bem foram vetados, o Idec considera que a restituição deve ser imediata. "A espera pelo encerramento do grupo gera onerosidade excessiva ao consumidor", enfatiza Idec.

Fonte:  http://www.reclameaqui.com.br/6349414/remaza-nova-terra/devolucao-do-dinheiro-carta-de-credito-imovel/